Data

19 Fev 2018



Fonte

Jornal Público





Partilhar
Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter



Médico ganha prémio com investigação que pode salvar vidas - Público

Gastrenterologista de 33 anos quis perceber qual é a técnica ideal para ganhar tempo até que fígado de doentes com lesão hepática aguda se regenere ou se encontre outro para transplante.

Com uma investigação sobre um tratamento que pode ajudar a salvar a vida de doentes em falência hepática aguda, uma técnica que permite ganhar tempo até que o fígado do paciente se regenere ou se encontre um órgão para transplante, um médico de 33 anos venceu o prémio Banco Carregosa no valor de 20 mil euros.

A investigação vencedora da segunda edição deste prémio que é promovido pela Ordem dos Médicos do Norte foi realizada em moldes pouco habituais: não teve o apoio da indústria farmacêutica, decorreu em unidades de cuidados intensivos e incidiu sobre uma patologia rara, destaca o vencedor, Filipe Sousa Cardoso, que é gastrenterologista no Hospital Curry Cabral (Lisboa) e liderou este trabalho feito com mais quatro investigadores dos EUA e do Canadá.

O que este estudo demonstra é que há um método que pode ajudar um doente em falência hepática aguda a ganhar tempo para que o seu fígado possa recuperar e regenerar ou, se tal não for possível, para que se encontre um fígado compatível para transplante. Um tempo que pode revelar-se fulcral para a sua sobrevivência.

 

Poderá consultar a notícia completa no seguinte endereço.