Data

08 Set 2016



Fonte

ALERT Life Sciences Computing, S.A.





Partilhar
Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter



Vitamina D pode reduzir ataques de asma?

Estudo publicado na revista ''Cochrane Library''

A toma de vitamina D conjuntamente com os medicamentos habitualmente utilizados no tratamento da asma reduz os ataques de asma graves, sugere um estudo publicado na revista “Cochrane Library”.

A asma é uma doença crónica que afeta cerca de trezentos milhões de pessoas em todo o mundo e é caracterizada por sibilâncias, aperto no peito e falta de ar.

Os níveis baixos de vitamina D sangue têm sido associados ao aumento do risco de ataques de asma em crianças e adultos com asma. Aliás tem havido um interesse crescente no que diz respeito ao potencial papel da vitamina D no controlo da asma, uma vez pode ajudar a reduzir as infeções das vias respiratórias superiores, que podem exacerbar a condição.

Para este estudo de revisão que foi apresentado no Congresso Internacional da Sociedade Respiratória Europeia, a equipa de investigadores analisou sete ensaios clínicos que envolveram 435 crianças e dois estudos que contaram com a participação de 658 adultos, oriundos do Canadá, Índia, Polónia, Japão, Reino Unido e EUA.

A maioria dos participantes tinha asma leve a moderada e a minoria asma grave. A maior parte dos pacientes continuou a tomar a medicação usual ao logo dos seis a doze meses do estudo.

O estudo apurou que a toma de suplementos orais de vitamina D reduziu o risco de ataques de asma graves. A necessidade de cuidados hospitalares diminui de seis para três por cento. Verificou-se ainda que a toma deste tipo de suplementos reduziu a taxa de ataques de asma que necessitavam de tratamento com esteroides.

Por outro lado, os investigadores observaram que a vitamina D não melhorou na função pulmonar ou sintomas diários de asma, bem como não aumentou o risco de efeitos secundários nas doses testadas.

Adrian Martineau, o líder do estudo, referiu que a toma de suplementos de vitamina D conjuntamente com o tratamento para a asma habitual reduziu significativamente o risco de asma grave, sem causar efeitos secundários.

O cientista referiu que apesar de estes resultados serem promissores necessitam de ser encarados com algum cuidado, uma vez que as conclusões relativas aos ataques de asma graves basearam-se em apenas três ensaios clínicos. Adicionalmente, são necessários ensaios clínicos em crianças e adultos com asma grave de forma a verificar se estes pacientes também poderão beneficiar da toma de suplementos de vitamina D.

Por último, ainda não está perfeitamente claro que a vitamina D consiga reduzir o risco de ataques de asma graves em todos os pacientes ou se este efeito é apenas observado nos pacientes que têm níveis baixos de vitamina D.