Data

23 Set 2016



Fonte

ALERT Life Sciences Computing, S.A.





Partilhar
Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter



Glioblastoma e a influência no sistema imunológico

Estudo publicado na revista ''Nature Immunology''

Os glioblastomas exercem uma influência nas microglias, as células imunitárias no cérebro, que faz com que estas estimulem o cancro em vez de o atacar. O estudo publicado na revista “Nature Immunology” explica o mecanismo molecular responsável por esta ação.

Os glioblastomas são uma das formas mais malignas do tumor cerebral. Este tipo de tumor é difícil de remover cirurgicamente, pois as células tumorais invadem o tecido cerebral saudável.

Os investigadores do Instituto Karolinska, na Suécia, já tinham previamente demonstrado que a ativação pró-inflamatória da microglia era controlada por um grupo de enzimas denominadas caspases.

Neste estudo, os investigadores, liderados por Bertrand Joseph, decidiram averiguar se a forma como as células cancerígenas afetam a microglia também envolve um mecanismo semelhante. Após terem cultivado as microglias na presença de células do glioblastoma, os investigadores demonstraram que as células cancerígenas inibiam a atividade da caspase-3 na microglia.

“Demonstrámos que a mesma inibição da caspase-3 faz com que as microglias estimulem as células tumorais em vez de as atacar”, referiu, em comunicado de imprensa, Bertrand Joseph. Quando os investigadores removeram a caspase-3 das microglias num modelo de ratinho para o glioblastoma, os tumores cresceram mais rápido.

Segundo os autores do estudo, estes resultados demonstram que as células do glioma utilizam um mecanismo dependente do óxido nítrico para forçar as microglias a modificar a caspase-3 para uma forma que estimula a produção de tumores.

Os investigadores ficaram surpreendidos por terem verificado, em primeiro lugar, que o mecanismo de sinalização entre as células do glioblastoma e as da microglia quando afetado tem um efeito tão grande no crescimento do tumor. Em segundo lugar, por terem observado que a atividade basal da caspase-3, que é muitas vezes considerada como não tendo atividade, tem um papel essencial na regulação do comportamento celular das microglias.