Data

20 Out 2016



Fonte

ALERT Life Sciences Computing, S.A.





Partilhar
Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter



Índice de massa corporal pode afetar função cognitiva

Estudo publicado na revista ''Brain, Behavior and Immunity''

Investigadores americanos sugerem que há mais uma razão para manter um peso corporal saudável, uma vez que um índice de massa corporal (IMC) elevado pode ter um impacto negativo na função cognitiva dos idosos, dá conta um estudo publicado na revista “Brain, Behavior and Immunity”.

Kyle Bourassa, o líder do estudo, explica que isto ocorre porque quanto mais elevado é o IMC maior é a inflamação. Estudos anteriores já tinham revelado que a inflamação, particularmente no cérebro, pode afetar negativamente a função cerebral e cognitiva.

Para o estudo, os investigadores da Universidade do Arizona, nos EUA, recolheram informações, ao longo de 12 anos, a partir do Estudo Longitudinal Inglês acerca do Envelhecimento, relativas à saúde, bem-estar e circunstâncias sociais e económicas de indivíduos com 50 ou mais anos.

Com base em duas amostras do estudo, uma com cerca de nove mil indivíduos e outra com cerca de 12.500, os investigadores acompanharam os adultos ao longo de seis anos. Foram obtidas informações no que respeita ao IMC, inflamação e função cognitiva.

O estudo apurou que quanto mais elevado era o IMC no início do estudo, maiores eram as alterações na proteína C reativa (PCR) ao longo dos quatro anos seguintes. A PCR funciona como marcador sanguíneo da inflamação sistémica. Verificou-se também que as alterações nesta proteína ao longo de quatro anos previu um alteração na função cognitiva ao longo dos seis anos após o início do estudo.

O investigador referiu que a massa corporal dos participantes previu o declínio da função cognitiva através dos níveis da inflamação sistémica. Deste modo, estes achados apoiam dados de estudos anteriores que associam a inflamação com o declínio cognitivo e chamam a atenção para a importância da massa corporal nesta associação.

O declínio cognitivo faz parte do envelhecimento, mesmo em adultos saudáveis, e pode ter um impacto significativo na qualidade de vida. Este estudo pode fornecer informações valiosas para possíveis intervenções, bem como abrir novos caminhos para a investigação nesta área.

Kyle Bourassa refere que, na presença de inflamação, no futuro, poderá ser possível sugerir a toma de anti-inflamatórios, não só para a combater, mas também porque pode ajudar a função cognitiva.

O investigador concluiu que ter um peso corporal saudável é bom para a saúde e para o cérebro.