Data

03 Nov 2016



Fonte

ALERT Life Sciences Computing, S.A.





Partilhar
Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter



Nicotina induz a inflamação

Estudo publicado no ''Journal of Leukocyte Biology''

Uma equipa de investigadores dos EUA e Suécia descobriu que a nicotina ativa um tipo específico de leucócitos, os neutrófilos, que libertam moléculas que aumentam a inflamação, dá conta um estudo publicado no “Journal of Leukocyte Biology”.

Constantin Urban, o líder do estudo, referiu que este estudo fornece uma explicação de como a nicotina contribui para a indução da inflamação. Estes resultados sugerem assim novas possibilidades de terapias futuras para tratar doenças associadas ao tabaco que anualmente conduzem à morte prematura de vários milhões de indivíduos no mundo inteiro.

Para o estudo, os investigadores da Universidade de Umeå, na Suécia, e da Universidade de Búfalo, nos EUA, estimularam neutrófilos isolados de humanos e de ratinhos com nicotina e mediram a libertação dose-dependente de moléculas inflamatórias.

Através da utilização de pequenas moléculas farmacológicas inibidoras, assim como de neutrófilos provenientes de estirpes de ratinhos geneticamente modificados, os investigadores foram capazes de identificar um recetor e as vias de sinalização envolvidas na ativação dos neutrófilos mediada pela nicotina.

John Wherry, o diretor adjunto da revista onde o estudo foi publicado, referiu que há muitas décadas que se conhecem os efeitos cancerígenos do tabaco. Contudo, ainda não se conhecia ao certo como o tabaco estava associado com as alterações imunológicas.

O investigador acrescentou que, “devido à associação direta entre a nicotina e a inflamação, este estudo tem implicações importantes, incluindo formas alternativas da inalação de nicotina, tais como vaping, que não contêm outros produtos químicos do tabaco, mas que ainda assim podem ter efeitos imunológicos prejudiciais ".