Data

06 Abr 2016



Fonte

ALERT Life Sciences Computing, S.A.





Partilhar
Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter



Spray nasal de oxitocina pode combater obesidade?

Estudo do Hospital Geral de Massachusetts

Uma dose única de spray nasal de oxitocina, conhecida por reduzir a ingestão de alimentos, diminui o comportamento impulsivo em homens obesos e com excesso de peso, sugere um estudo apresentado 98º Encontro Anual da Sociedade de Endocrinologia dos EUA.

A oxitocina é muitas vezes referida como a “hormona do amor” devido ao seu papel no sexo, nascimento e amamentação. Esta hormona produzida no cérebro desempenha também um papel importante no controlo da ingestão de alimentos e do peso.

No ano passado, os investigadores do Hospital Geral de Massachusetts, nos EUA, constataram que o spray nasal de oxitocina reduzia o consumo de calorias e gordura sem afetar o apetite. Contudo, os investigadores não conseguiram perceber, através do teste alimentar, de que forma a hormona exercia o seu efeito.

O novo estudo preliminar, que incluiu dez homens com excesso de peso e obesos, sugere que a oxitocina pode levar à diminuição do consumo de alimentos ao melhorar o autocontrolo. De forma a demonstrar a capacidade de os participantes suprimirem o comportamento impulsivo, os investigadores realizaram um teste psicológico. Neste teste, os indivíduos sentam-se em frente ao computador e foram treinados para responderem à visualização de um quadrado no ecrã do computador, pressionando um botão do lado esquerdo do teclado, e à visualização de um triângulo, pressionando um botão do lado direito.

Após ficarem familiarizados com a tarefa, foi-lhes dito para não carregarem no botão quando vissem o símbolo, mas apenas quando ouvissem um som. Uma vez que o som era produzido com um atraso variável após o aparecimento do símbolo, a nova tarefa requeria que os participantes controlassem o seu comportamento impulsivo.

Os participantes que tinham idades compreendidas entre os 23 e os 43, e que tinham excesso de peso ou eram obesos, foram submetidos ao teste em duas ocasiões, 15 minutos após a administração de uma dose do spray em cada narina. Num dos dias foi administrada oxitocina e no dia seguinte um placebo.

O estudo apurou que, após terem recebido a oxitocina, os participantes carregaram menos frequentemente no botão do que seria esperado. Na opinião dos investigadores estes resultados demonstram que os participantes adquiriram um maior controlo, sendo por isso menos impulsivos após a administração da oxitocina.

“Os nossos resultados preliminares nos homens são promissores. O spray nasal de oxitocina não teve efeitos secundários fortes e não é tão invasivo quanto uma cirurgia bariátrica” concluiu uma das autoras do estudo, Franziska Plessow.