Data

12 Abr 2016



Fonte

ALERT Life Sciences Computing, S.A.





Partilhar
Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter



Obesidade mais do que duplicou nos últimos 40 anos

Estudo publicado na revista ''The Lancet''

Nos últimos 40 anos a obesidade entre os homens triplicou e nas mulheres mais do que duplicou, dá conta um estudo que envolveu 20 milhões de adultos de 186 países e que foi publicado na revista “The Lancet”.

O estudo foi realizado pelos investigadores do Imperial College London, no Reino Unido, tendo contado com a colaboração da investigadora Cristina Padez, do Centro de Investigação em Antropologia da Saúde (CIAS), da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

Os investigadores constataram que, entre 1975 e 2014 a obesidade entre os homens triplicou (de cerca de 3%, em 1975, para quase 11%, em 2014) e que nas mulheres mais do que duplicou (de mais de 6% para perto de 15%), refere a nota da Universidade de Coimbra (UC) à qual a agência Lusa teve acesso.

Os dados relativos a Portugal são “compostos por uma amostra de mais de 820 mil jovens adultos de todo o país, com idades compreendidas entre os 18 e 20 anos, de vários estratos sociais, que participaram nas inspeções militares, no período 1985-2000”, refere a especialista do CIAS.

Em 2014, “266 milhões de homens e 375 milhões de mulheres em todo o mundo eram obesos, significando também que a população mundial tornou-se mais pesada em cerca de 1,5 quilogramas em cada década subsequente desde 1975”, referiu a UC.

Adicionalmente, 2,3% dos homens e 5% de mulheres de todo o mundo têm a “classificação de obesidade grave, colocando-os em risco acrescido para o desenvolvimento de doenças como diabetes, doenças cardiovasculares e vários tipos de cancro”.

O estudo, que envolveu a Organização Mundial de Saúde (OMS), previu igualmente as tendências globais de evolução da obesidade, indicando que, em 2025, 18% dos homens e 21% das mulheres sofrerão de obesidade.